Buscar

Existe uma pessoa escolhida para minha vida?

Atualizado: 11 de Dez de 2020



Junior Meireles


Ana (nome fictício) é uma conhecida minha. Ela tem trinta e cinco anos, é bonita, simpática, mulher de Deus, dona de uma pequena empresa, mas “ainda” está solteira. O “ainda está solteira” não tem nada a ver com o fato dela ter trinta e cinco anos, mas com o histórico de pessoas que ela rejeitou.


Ao longo dos anos, diversos rapazes tentaram conquistá-la, mas ela resistiu e disse não a todos.


Dois desses em particular eram:

– bons partidos,

– bonitos,

– trabalhadores,

– levavam a sério os estudos,

– de famílias respeitáveis,

– queriam ter um relacionamento sério

e o melhor, eram irrepreensíveis em sua fé e homens de Deus.


Mas ainda assim, ela permaneceu irredutível e não aceitou ter um relacionamento com nenhum dos dois.





Hoje em dia os dois rapazes estão casados e ela permanece solteira.


Sabe por que Ana está solteira aos trinta e cinco?


Porque ela acredita que só deve iniciar um relacionamento após ter recebido o sinal de Deus de que aquele é o seu escolhido.


Conhece alguém assim?


Existem muitos jovens que pensam como Ana.


Eles acreditam na existência de uma pessoa escolhida por Deus para os salvarem da solidão. E na teoria isso é muito bonito, tão bonito que tem rendido milhões de dólares aos cofres dos produtores de filmes americanos. Afinal, centenas de filmes pregam a existência de uma alma gêmea.


O mito da alma gêmea foi criado por Platão.


Platão em seu livro “O Banquete” tenta definir o que é o amor e na história, na busca de descobrir o significado do amor, muitos convidados do banquete, cada um por vez, faz um elogio ao deus Eros (deus grego do amor). Porém, um dos momentos mais fascinantes do texto é quando o personagem Aristófanes toma a palavra e faz um discurso tão belo que se eternizou como a teoria da alma gêmea.


Ele diz: “No início dos tempos os homens eram seres completos, de duas cabeças, quatro pernas, quatro braços, o que permitia a eles um movimento circular muito rápido para se deslocarem. Porém, considerando-se seres tão bem desenvolvidos, os homens resolveram subir aos céus e lutar contra os deuses, destronando-os e ocupando seus lugares. Todavia, os deuses venceram a batalha e Zeus resolveu castigar os homens por sua rebeldia. Tomou na mão uma espada e cindiu todos os homens, dividindo-os ao meio. Zeus ainda pediu ao deus Apolo que cicatrizasse o ferimento (o umbigo) e virasse a face dos homens para o lado da fenda para que observassem o poder de Zeus. Dessa forma, os homens caíram na terra novamente e, desesperados, cada um saiu à procura da sua outra metade, sem a qual não viveriam. Tendo assumido a forma que nós temos hoje, os homens procuram sua outra metade, pois a saudade nada mais é do que o sentimento de que algo nos falta, algo que era nosso antes”


No meio cristão não é muito diferente.


Embora não acreditemos na existência de “uma alma gêmea” e muito menos nos deuses gregos, foi criado em nosso meio  o termo: “o escolhido de Deus” ou o "predestinado". Claro, não acreditamos que éramos seres de duas cabeças, quatro pernas e quatro braços, mas o que se prega por ai é que existe alguém separado por Deus para outro alguém desde que eles nasceram.


Algo parecido com o que o Cazuza e o Frejat cantavam:  “Amor da minha vida. Daqui até a eternidade. Nossos destinos foram traçados na maternidade”.





Mas será que isso existe?


Não!


Quer dizer, não acontece com todos.


É claro que existem casos em que Deus une duas pessoas para cumprir um propósito.


Existem pessoas que foram sim, predestinadas por Deus para se unirem e jamais poderiam se unir a outas pessoas.


Isaque e Rebeca são exemplos claros de pessoas que foram predestinadas por Deus para se unirem!


Porém, com base no meu entendimento das escrituras, não acredito que exista uma pessoa certa separada para cada um.


E olha que sou Calvinista! Sim, acredito na predestinação e na soberania de Deus. No entanto, vejo que no que diz respeito a escolha da pessoa com quem iremos nos casar, faz parte da responsabilidade humana.


Você não escolheu sua mãe, seu pai e muito menos seus irmãos, estes foram preparados por Deus para sua vida, Deus agiu soberanamente e predestinou você para ser parte da família que você faz parte.


Mas seu cônjuge é escolha sua.


Sim!


O cônjuge é o único "parente" que podemos escolher.


Deus nos deu o direito de escolher a pessoa com quem passaremos a vida toda.



Mas é bom que você entenda que, mesmo que Deus não escolha a pessoa com quem vamos nos casar, Ele deseja profundamente que façamos a escolha certa para poder abençoá-la. Deseja tanto que já revelou em sua palavra princípios claros para que façamos a melhor escolha.


Então do fundo do coração, meu desejo não é acabar com seu sonho de Cinderela ou com seu sonho de ser o príncipe de alguém, mas quero que você entenda sua responsabilidade diante dessa escolha – não existe pessoa certa.


O que existe é a escolha certa.


Nós escolhemos e Deus abençoa.


Guarde em seu coração, eu e você somos responsáveis por nossas escolhas, bem como por suas consequências.


“Peça a Deus que abençoe os seus planos, e eles darão certo” [Provérbios 16:3]


Faça uma boa escolha!


Deus te abençoe rica e abundantemente!


ASSISTA A UM DE NOSSOS VÍDEOS!





NAMORO COM PROPÓSITO

Ipatinga, Minas Gerais, Brasil

Atendimento: Seg. a Sex. de 13h as 18h

(33) 9 8881 1677

contato@ncpoficial.com.br

CNPJ 24.096.557/0001-36

© 2020 por Namoro Com Propósito | Nossa missão é ensinar princípios para solteiros, namorados e noivos